sexta-feira, 3 de julho de 2009

Vinhofest


Fui convidada para participar de uma degustação prá lá de especial na abertura da Vinhofest em BH. Sou amante de bons vinhos e espumantes, então me esbaldei. Não perdi a compostura, porém, afinal estava trabalhando e representando a revista. Conheci novos sabores em termos de queijos produzidos em Minas e variados tipos de presuntos e salames. O índice de gordura no meu corpo ficou lá em cima, mas em situações como essa não se pode recusar.
Quero dividir com vocês minhas descobertas. Em termos de espumante, fiquei impressionada com o sabor dessa Ferrari italiana. Realmente tem grande personalidade na boca, o sabor com um fundinho de avelã e crosta de pão que permanece na boca de forma muito agradável.
Quando o assunto são os tintos adorei provar bons exemplares de vinhos sul africanos. Como me disse a sommelier Gil Vesolli, atualmente quem insiste em beber os mesmos manjados argentinos, chilenos ou franceses "está fazendo o mesmo que um turista que ao viajar para a França ao invés de percorrê-la fica dentro do hotel assistindo uma gravação do Domingão do Faustão." Exageros à parte, concordo que a enogastronomia é uma viagem em si, e é preciso saber desfruta-la.

3 comentários:

Fernanda disse...

Depois da gravidez e da amamentação, acho que nem me lembro mais do sabor do álcool... hehehe

Fernando Grilo disse...

Se tem uma pessoa que sabe desfrutar desta arte, esta pessoa é você Carolina! Tenho certeza que esta matéria vai ficar excelente! Um Beijo.

Casa de Colmeia disse...

Juro que se eu pudesse, tomava pelo menos meia garrafa de vinho toda noite, acompanhada de queijo pecorino... e bevi che ti fa bene!!