sexta-feira, 4 de setembro de 2009

Degustação Temática



Conheci os vinhos italianos produzidos pela Bussola, a convite da Enoteca Decanter. A apresentação foi feita pelo mineiro Guilherme Corrêa*, premiado consultor de vinhos. Além de conhecer, por meio de fotos da sua viagem, paisagens belíssimas de Veneto e a culinária excepcional da região, fomos introduzidos à pequena vinícola de 12,3 hectares de Tommaso Bussola (que começou a trabalhar em 1977 na vinícola que era do tio, Giuseppe). Pude provar o melhor Amarone do mundo produzido até então, segundo Robert Parker, que deu a ele 97 pontos! Palmas para Tommaso.



É o Amarone Classico Vigneto Alto TB 2004. Segundo Guilherme Corrêa, esse vinho possui potência e elegância ao mesmo tempo e alcança até 20 anos de guarda. “As pequenas frutas silvestres, aliadas às cerejas frescas e em licor, ganham um tom dramático ao lado do bálsamo, do café torrado e do alcatrão. Monumental e voluptuoso na boca, simplesmente interminável.” Essa joia está à venda por R$901,20. É o vinho mais caro que já experimentei, e vejam vocês, o Amarone passou a existir depois de um erro na produção de outro tipo de vinho. Mais uma vez aprendi a nunca menosprezar a importância de um erro. Ele deve existir para nos proporcionar não só aprendizado, mas nos surpreender positivamente, por que não?



Quem gosta de vinhos de sobremesa, não pode perder o Recioto della Valpolicella 2005. Uma experiência refrescante e doce ao mesmo tempo, com volume e equilíbrio espetaculares. Sentimos muito claramente a presença de aromas de cereja madura, mirtilo, amora e framboesa, além de tons balsâmicos e florais. É quase uma geléia (a melhor do mundo, na minha opinião) líquida. Deve ser tomado mais gelado um pouco que os tintos convencionais: a 14 graus Celsius. A garrafa é mais fininha, tem 500 ml e custa R$261,65. Vai super bem com um tiramisu. Que tal?


* Guilherme Corrêa, 38 anos, é mineiro de Belo Horizonte. Foi o primeiro profissional brasileiro a se formar no exterior, além de ter sido pioneiro na profissão no estado de Minas. Obteve o título de sommelier em 2000, junto à Associazione Italiana Sommeliers, na Toscana, Itália. Foi o primeiro brasileiro a se formar nesta associação, considerada a maior e mais prestigiada do mundo no que se refere à arte e à ciência de harmonizar vinhos com os mais diversos tipos de alimentos - a enogastronomia. Guilherme é sommellier bicampeão brasileiro pela ABS, e está entre os três melhores profissionais da sommellerie das Américas. Sagrou-se o melhor sommelier da América Latina ao alcançar a terceira colocação no 1º Concurso APAS-ASI-Mejor Sommelier de Las Américas - Association de La Sommellerie Internationale, realizado na Argentina. As duas primeiras colocações foram para a América do Norte (Canadá).

A seguir as fotos preferidas que eu fiz por lá. Sente só o clima...




Em tempo: as paredes da Enoteca são todas cobertas do material que é feito a rolha, a cortiça. Um charme!

4 comentários:

Ana Clara Lima disse...

uhu! Belas fotos!

Carolina Pagioli Lessa disse...

que charme as paredes da enoteca hein??? adoro vinhos, sou fã dos secos... deve ter sido uma delícia essa noite!
beijo

Fernando Grilo disse...

Bacana Carol, você deve ter adorado este programa. Quero ir lá com você. Parabéns pelas fotos! Beijos.

Ludj disse...

Amore, vc tá arrasando nas degustações.