segunda-feira, 3 de agosto de 2009

Turista na própria cidade

Não poder viajar para outra cidade por falta de tempo ou excesso de trabalho não pode ser desculpa para não aproveitar a vida, descansar, relaxar, cuidar de si e de quem você ama.
Esse fim de semana fiz algo diferente, algo que quase ninguém nem pensa em fazer. Me hospedei num hotel na minha própria cidade. O que começou com um excelente jantar acompanhado de um espumante, servidos no quarto, se prolongou com um início de manhã maravilhoso, com bela vista da cidade do vigésimo primeiro andar, dentro de uma enorme banheira de hidromassagem com muita espuma. Só assim mesmo para acordar de bom humor, né?
Depois, o café da manhã não poderia ter sido melhor. Além de frutas super saudáveis, iogurtes e queijos leves tinham também inúmeras opções de quitutes bem mineiros. Só aqui em Belo Horizonte mesmo para ter tudo o que mais gosto de comer ao acordar num hotel: bolo de fubá, broa salgada e pão de queijo quentinho.
Fiquei de bobeira na agradável recepção lendo os jornais todos (admito que nessa hora fiquei estressada ao saber que a volta às aulas foi adiada; pensei em arrancar os cabelos, mas achei que o momento era de aproveitar e pulei essa parte) até que fiz a digestão e fui conhecer a academia. Me impressionou os aparelhos modernos – todos da Reebok – e como ando numa fase de total empolgação fiz meu treinamento aeróbico e as necessárias abdominais em frente à uma enorme TV de plasma. Isso me entreteve tanto que fiz até mais tempo do que pretendia.
Eu podia contar também da piscina interna, coberta (adoro!) e aquecida que eu usei em seguida... Podia contar das saunas seca e à vapor que fiz ... até que eu ajudei Júlia Lemmertz (sim, a própria senhora Alexandre Borges) a ligar a esteira pois ela se atrapalhou e não achou o botãozinho ON... ou dos momentos incríveis que tive para comemorar 10 anos de namoro, mas acho melhor guardar essas intimidades só para mim. Essa idéia foi sensacional, porque sempre que queria fazer algo rápido e romântico com o maridão para comemorar uma data especial eu desistia por achar que motéis são cafonas, com apetrechos demais, espelhos demais, pressão demais e opções de menos. Veja bem, opinião de agora, claro que com 19 anos eu não achava o mesmo. Desconfio que não sou só eu que pensa assim, senão não existiria essa promoção própria para os apaixonados, que podem ser recém-casados ou aqueles que querem renovar a paixão. Então, a partir de agora vou optar por hotel e não motel.
O mais legal foi que, ao sair, todos da equipe (o mocinho do check-out era a cara do Vladimir Brichta...) se despediram educadamente, dizendo: “Boa viagem!” E eu pensei, “ufa, ainda bem que não vou precisar enfrentar estrada nem aeroporto, pois minha viagem até em casa vai durar exatos 5 minutos”.

7 comentários:

Camila Godoi disse...

Eita! Que beleza!!!
Aproveitou, heim, irmã!!!
Eu e o Gi fizemos isso no nosso 1o. dia dos namorados... Realmente foi muito bom! Beijos!
p.s.: adorei seu comentário, pra variar!

Fernanda disse...

Já experimentamos isso tb, num dia dos namorados... Lembro que o jantar foi divino. Um cardápio especial do hotel para a data comemorativa e sem restaurantes lotados, fila de espera e etc. É uma boa pedida. :-)

Fernando Grilo disse...

Realmente foi muito bom né benzão? Aproveitamos ao máximo. Estes momentos é que fazem a vida valer a pena. Beijos do seu ursão.

Fernando Grilo disse...

P.s - Não quis por a foto do quarto? Gostei muito do novo template!

Camila Godoi disse...

EI irmã!! Deu certo! Ficou lindo!
bjo

iemai disse...

Poxa, que idéia genial! O: Taí um negocio que eu nunca tinha pensado mesmo... Deixa meus 10 anos chegarem... rsrsrs

Rubia Piancastelli disse...

adorei! certamente está no caderninho para a próxima comemoração ;-) dá o nome do hotel pra gente, dá?!